O Burro Mirandês

Com certeza que já ouviu falar do burro mirandês. Esta espécie asinina reúne algumas características inigualáveis e, atualmente, tem sido relacionada a diferentes temáticas, nomeadamente, à participação em fins terapêuticos, à asinoterapia, ao fabrico de sabonetes a partir de leite de burra e à proteção da integridade do animal, precavendo a sua extinção.


A espécie de burro mirandês, com a designação científica Equus asinus, tem pelagem comprida e grossa de cor castanha escura, orelhas grandes, o focinho curto com a extremidade branca, e os olhos rodeados por uma mancha branca, sendo fisicamente robustos e de temperamento dócil.


Encontra-se em vias de extinção devido à mecanização dos trabalhos agrícolas, ao abandono do mundo rural e da agricultura, à forte emigração e envelhecimento da população, à idade avançada das burras, que provoca uma diminuição da sua taxa de fertilidade, à preferência dos machos castrados, pelo facto de serem mais dóceis e próprios para o trabalho, e ao cruzamento de diferentes variedades de burros, perdendo-se as características que são específicas da raça asinina de Miranda.


O cruzamento de diferentes espécies de burros tem sido amplamente discutido. A ameaça provém do excesso de animais de raças asininas autóctones espanholas, principalmente machos, que já não dispõem de compradores. Por esse motivo, são vendidos em Portugal a baixo preço. No entanto, é preciso manter estas duas raças, o burro de Miranda e o burro Zamorano-leonês, com livros genealógicos e características genéticas diferentes, separadas pelos dois lados da fronteira.


As práticas de asinoterapia têm mostrado que o uso desta espécie asinina representa um contributo importante para o bem-estar social e psicológico das pessoas. Esta prática equestre recorre a um conjunto de técnicas de educação e de reeducação do indivíduo, com o objetivo de fazer com que este ultrapasse danos sensoriais, motores, cognitivos, afetivos e/ou comportamentais. Segundo alguns estudos, o toque, por exemplo, aumenta a nossa autoestima e desenvolve no ser humano sentimentos de proximidade, segurança e confiança pelo seu congénere e pelo meio envolvente. A introdução do burro em terapias remonta à década de 70 em países como a Suíça, Inglaterra, França, Itália, Estados Unidos, entre outros.


A fêmea do burro mirandês também tem contribuído para a valorização da espécie através do seu precioso leite, uma matéria prima fundamental para o fabrico de sabonetes. Estes produtos incluem óleos essenciais extraídos de variadíssimas plantas aromáticas, de forma a obter-se uma grande variedade de aromas naturais, para um banho cheio de mimo e muito nutritivo, com propriedades emolientes que proporcionam um aspeto sedoso e único à pele.

Burro Mirandês (Equus asinus). Foto: Pedro Gonçalves/Facebook, Apoiar Burro Mirandês.

Marisa Barroso (Instituto Politécnico de Bragança) - 2012-11-27 15:19:55