Óleos essenciais

Os óleos essenciais são misturas complexas de substâncias químicas voláteis, extraídas de plantas que, por terem aromas característicos, se designam plantas aromáticas.


Além de ésteres, os óleos essenciais são compostos por uma mistura complexa de hidrocarbonetos, álcoois e compostos geralmente pertencentes a um grupo de produtos naturais nomeados de terpenos. Os seus aromas são extremamente agradáveis, o que os torna muito importantes para várias indústrias, além de serem usados em Fitoterapia e Aromaterapia, com finalidades terapêuticas.


São obtidos exclusivamente por destilação de matéria vegetal, com ou sem vapor de água, ou por processos mecânicos, quando se trata de frutos, como as espécies de Citrus. A destilação e a expressão são, portanto, os processos de obtenção industrial de óleos essenciais. A Cromatografia Gasosa (GC) acoplada a espectrometria de Massa (MS), é a técnica mais adequada e generalizada para a identificação dos óleos essenciais.


As suas características odoríferas são muito exploradas pela indústria farmacêutica. São também usados como adjuvantes corretivos de sabor, trazem odor aos medicamentos administrados por via oral, sendo também aromatizantes de medicamentos de aplicação tópica.


Possuem atividade antimicrobiana, quer antibacteriana, quer antifúngica. Os óleos de alfazema (Lavandula sp.), por exemplo, têm sido usados na medicina humana pela sua atividade antimicrobiana, aplicados diretamente, ou como desinfetantes para uso externo e incorporados em medicamentos antisséticos. Têm um potencial terapêutico que abrange vários sistemas do corpo humano, sendo os sistemas digestivo, respiratório e hepático alguns exemplos.


Na indústria alimentar, a sua utilização tem sido tendencialmente crescente dado o seu reconhecido valor como agentes antioxidantes. Aí, o seu papel é aromatizar produtos alimentares com aditivos naturais, onde as espécies Citrus, Mentha e Cinnamomum lideram. Na agricultura, são usados como repelentes de insetos, inseticidas ou moluscicidas. Também a indústria de perfumes e cosméticos considera crucial a utilização de óleos essenciais. Os óleos de Lavandula sp., Rosmarinus officinalis e Rosa sp. são alguns exemplos dos mais utilizados.


Em casa, os óleos essenciais podem ser aplicados no corpo, no abdómen, no tórax ou na região temporal ou então podem ser inalados, espalhados com um vaporizador ou adicionadas algumas gotas à água do banho.


De todos os óleos essenciais disponíveis, alguns têm uma popularidade acrescida. Por exemplo, o óleo de camomila é utilizado para promover a descontração, ajudar a dormir, aliviar as cólicas infantis e aliviar alterações cutâneas. O óleo de hortelã-pimenta e o seu extrato de mentol são bem conhecidos para auxiliar a digestão. Os óleos de limão, baunilha e alecrim são considerados revitalizantes.


No entanto, os óleos essenciais não são inócuos e devem sempre ser utilizados seguindo os conselhos de um profissional de saúde, pois também podem ser tóxicos ou provocar erupções cutâneas. Devem ser sempre diluídos, não devem ser utilizados internamente e devem ser sempre guardados fora do alcance das crianças.

Óleos essenciais (Direitos reservados)

Marisa Barroso e Isabel Ferreira (Instituto Politécnico de Bragança) - 2012-12-12 12:21:10