Explorando o conceito de nutracêuticos…

A nossa alimentação, nos tempos que decorrem, consiste em muito mais do que apenas saciar a fome. É fundamental que nos mantenhamos bem nutridos, de forma a promover o bem-estar físico e psíquico, prevenir doenças e melhorar determinadas funções do organismo.


Assim sendo, novos estudos têm surgido de dia para dia, de forma a verificar a eficácia e ação de determinadas substâncias presentes nos alimentos, que desempenham papéis profiláticos para determinadas patologias, e garantir uma alimentação mais saudável e equilibrada.


É aqui que entram os nutracêuticos, que apresentam benefícios à saúde, incluindo a prevenção e/ou tratamento de doenças. Estes são produtos nutricionais que têm um alegado valor terapêutico.


O seu termo resultou da fusão das palavras nutriente “nutri” e farmacêuticos “cêuticos”, e estuda os componentes fitoquímicos presentes nos legumes, frutos e cereais, investigando as ervas, folhas e raízes dos mesmos, e cascas de árvores.


A incidência de morte devido a acidentes cardiovasculares, cancro, doenças hepáticas, arteriosclerose, entre outros, pode ser minimizada através de bons hábitos alimentares. A consciencialização e perceção, por parte dos consumidores, de que uma ingestão continuada de certos nutrientes contribui de forma significativa para a prevenção destas e para o aumento da esperança de vida é, nos dias de hoje, uma realidade cada vez mais presente. Mas como nem sempre é possível adotarmos um estilo de vida adequado e uma dieta equilibrada, devemos sempre que seja necessário complementar a alimentação diária com nutracêuticos.


Os alimentos funcionais e os nutracêuticos têm sido considerados sinónimos. No entanto, é um lapso porque os alimentos funcionais devem estar na forma de alimento comum, e assim serem consumidos como parte da dieta, produzindo benefícios à saúde, como a redução do risco de diversas doenças e a manutenção do bem-estar físico e mental.


Em contrapartida, os nutracêuticos são alimentos ou parte dos alimentos, substâncias bioativas isoladas que são consumidas sob diferentes formas, tais como alimentos processados, suplementos dietéticos e produtos herbais processados na indústria farmacêutica.


As substâncias biologicamente ativas podem ser classificadas em vários grupos: probióticos e prebióticos, alimentos sulfurados e nitrogenados, pigmentos e vitaminas, compostos fenólicos, ácidos gordos polinsaturados e fibras.


Nós somos o que comemos, faça sempre essa reflexão!

Marisa Barroso e Isabel Ferreira (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-02-10 16:48:42