Sabe o que estuda a Etnobotânica?

A etnobotânica é uma disciplina que estuda as relações entre o Homem e as plantas ao longo do tempo, permitindo compreender as diferentes perceções do universo vegetal, os usos e interações em sistemas dinâmicos, a apropriação e a transmissão dos saberes e práticas. Insere-se numa área científica de âmbito mais alargado, a etnobiologia, que avalia, explica e interpreta o sistema natural e social de um dado território ou ecossistema.


O termo etnobotânica foi proposto pela primeira vez em 1895, pelo botânico americano John Harshberger, a propósito de uma coleção de objetos arqueológicos de origem vegetal encontrados no Colorado que estiveram expostos na Exposição Universal de 1893. Não há uma definição única, visto que de acordo com as épocas e os autores se adotaram diferentes perspetivas e abordagens interdisciplinares. A botânica, a ecologia, a antropologia, a sociologia, a história, a linguística, a farmacologia, a economia, são alguns exemplos de ciências que interagem com a etnobotânica.


A etnobotânica regista e analisa uma ampla gama de informações sobre o modo como a população de um dado local se relaciona com o meio natural e os recursos vegetais. Tudo isto implica o inventário de espécies, a coleta e herborização de plantas, a realização de entrevistas, observação-participante, trilhos de plantas, levantamentos e registo de som e imagem.


A etnobotânica contribui para a conservação do património cultural e da biodiversidade. A etnobotânica regista e documenta o património material e imaterial relacionado, por exemplo, com as plantas úteis, silvestres e cultivadas, as variedades regionais e os cultivos antigos, os usos, as tradições práticas, o conhecimento ecológico empírico e a adaptabilidade dos recursos vegetais a diferentes condições edafoclimáticas,
As metodologias empregues facilitam informação sobre os recursos vegetais, o maneio tradicional, a importância da permanência dos usos, as implicações éticas e sociais do aproveitamento desses recursos. Por outro lado, valorizam o saber empírico e reforçam a identidade local.


Em suma, a etnobotânica, embora seja um domínio científico pouco conhecido, tem uma importância fundamental no desenvolvimento das sociedades humanas, porque além de proporcionar informação sobre as plantas úteis e a cultura popular também abarca outros temas com interesse para o desenvolvimento local e o uso sustentado dos recursos. Pode dizer-se que a etnobotânica é anterior aos trabalhos botânicos clássicos, porque o Homem manipula o universo vegetal desde sempre e por isso a presença das plantas no quotidiano e na evolução dos povos é tão antiga como o próprio Homem.

Marisa Barroso e Ana Maria Carvalho (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-05-02 14:27:18