Literacia científica: a alfabetização do século XXI

“Literacia” refere-se à capacidade de ler e escrever. Contudo, é também associada ao conhecimento, à aprendizagem e à educação.


Recorrendo à origem latina dos termos “literacia” e “científico”, estes conceitos são definidos como a capacidade de ler, escrever e compreender o conhecimento humano sistematizado.


Literacia científica é, portanto, todo um conjunto de capacidades e competências que os indivíduos desenvolvem para interpretar e dar sentido ao seu meio envolvente e para tomarem decisões conscientes e responsáveis nos mais variados campos do saber.


A melhoria da literacia científica dos alunos e dos cidadãos em geral tornou-se uma preocupação e objeto de pesquisa na educação em ciências durante os anos 90, guiada, em muitos aspetos, pela tomada de consciência pública acerca da necessidade urgente de um nível suficiente de literacia científica das populações. Num grande número de países, os resultados desapontantes do Estudo PISA (“Programme for Internacional Student Assessment” – um programa elaborado pela OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) alarmaram muitas pessoas, incluindo políticos, responsáveis governamentais da educação e professores de um modo geral. Após uma reflexão dos resultados deste estudo, tornou-se fundamental uma revisão sobre o modo como a educação em ciências se deveria realizar na escola, de forma a torná-la mais efetiva.


Segundo o PISA 2006, a literacia científica diz respeito ao conhecimento científico e à utilização desse conhecimento para identificar questões, adquirir novos conhecimentos, explicar fenómenos científicos e elaborar conclusões fundamentadas sobre questões relacionadas com Ciência. Diz também respeito à compreensão das características próprias da Ciência, enquanto forma de conhecimento e de investigação, assim como se relaciona com a consciência do modo como Ciência e Tecnologia influenciam os ambientes material, intelectual e cultural das sociedades.


Desta forma, a importância da literacia científica, no âmbito do mundo científico-tecnológico atual, pode ser comparada ao saber associado à alfabetização no final do séc. XIX. É, por isso, muitas vezes entendida como alfabetização científica ou alfabetização científico-tecnológica.


A aquisição de elevados níveis de literacia científica por parte dos indivíduos e a sua capacidade para aplicar conhecimentos científicos em situações do dia a dia apresenta, atualmente, e mais do que nunca, uma importância inquestionável. Se um indivíduo sabe o suficiente acerca de ciência, aplicará esses conhecimentos em situações do seu quotidiano e, deste modo, o conhecimento científico influencia diretamente as decisões e os comportamentos dos indivíduos. Podemos dizer que um indivíduo “cientificamente letrado” é aquele que é capaz de usar conceitos, processos e valores científicos ao tomar decisões no seu dia a dia, enquanto interage com os outros e com o seu ambiente.


Considerando que todos os alunos são elementos integrantes de uma sociedade, cidadãos responsáveis pelos riscos e benefícios do conhecimento, dos produtos e dos sistemas científicos e tecnológicos, podemos dizer que a literacia científica de um indivíduo está relacionada com o desenvolvimento humano no sentido de que somos todos seres reflexivos e com capacidade para atuar em prol da formação de uma sociedade mais justa.

Paulo Mafra (Instituto Politécnico de Bragança) e Márcia Moreno (Centro Ciência Viva de Bragança) - 2013-03-19 15:35:42