A importância dos três últimos carateres do número do cartão de cidadão

A robustez de um sistema de identificação está relacionada com o tipo de erros que deteta. Na semana passada apresentámos o algoritmo usado para validar o número de identificação civil (NIC) e aludimos à sua falta de eficácia em certos casos.


Com o advento do cartão de cidadão, foram justapostos ao NIC e ao seu dígito de controlo mais três carateres. De acordo com Figura 1, os dois carateres alfabéticos seguintes exibem o número de emissões do documento. O primeiro cartão emitido tem os carateres ZZ, a segunda versão terá os carateres ZY, etc.. Esta prática permite que as autoridades identifiquem mais facilmente cartões substituídos, cancelados ou roubados.


O último dígito do número de documento controla todo o código alfanumérico. O procedimento utilizado, que recorre a uma aritmética módulo 10, é uma variante do algoritmo de Luhn (inventado em 1954 por Peter Luhn), também usada nos cartões de crédito. O algoritmo usa a seguinte convenção para a conversão dos carateres alfabéticos em números: substituir a letra A pelo número 10, a letra B pelo número 11 e, seguindo a ordem alfabética em simultâneo com a ordem dos números naturais, substituir Y por 34 e Z por 35. Exibimos as etapas do procedimento, podendo o leitor acompanhar cada passo com o exemplo da Tabela 1.


i) Converter o 10º e o 11ºcarateres em números;


ii) Da direita para a esquerda, duplicar cada 2º elemento, mantendo os restantes;


iii) Subtrair 9 aos números obtidos em ii) que são superiores a 10, mantendo os restantes;


iv) Verificar se a soma dos valores obtidos em iii) é múltipla de 10.


A Tabela 1 apresenta a aplicação das três primeiras etapas do algoritmo ao número de documento da Figura 1.


Na Tabela, a soma
6+0+8+5+8+1+5+6+2+35+61+3=140


dos números obtidos em iii) é um múltiplo de 10, o que confere uma elevada fiabilidade ao documento. Com efeito, o algoritmo deteta todos os erros singulares e transposições de dígitos consecutivos. Ainda assim, a troca dos pares de dígitos 09 e 90 não é identificada pois o algoritmo determina a mesma soma na etapa iv), o que não acontece com a troca de quaisquer outros pares de dígitos consecutivos.


Contudo, este é um procedimento adicional que veio reforçar a fiabilidade do NIC e de todo o processo de identificação por via do cartão de cidadão, minorando as falsas identificações.

Figura 1: Número de documento 304541761ZZ3

Tabela 1: Aplicação que afere o número de documento 304541761ZZ3

Ilda Reis e Edite Cordeiro (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-05-10 12:18:37