São desperdiçadas 4 piscinas de água.

Suponhamos que o volume da piscina é V. Sabe-se que a piscina demora 12 horas a encher se a saída de água estiver fechada, o que significa que, a quantidade de água debitada ao longo de uma hora é V/12. Um raciocínio análogo permite concluir que a água que se escapa da piscina ao fim de uma hora é V/15.

Assim, se a entrada e saída de água estiverem, em simultâneo, abertas, o volume de água que permanece na piscina ao fim de uma hora é V/12-V/15. Note-se que este valor é positivo. Tal, permite concluir que a piscina fica cheia ao fim de V/(V/12-V/15) horas, ou seja, 60 horas.

Este tempo permite conhecer a quantidade de água desperdiçada. Para isso basta, tão-somente, multiplicá-lo pelo volume de água que se escapa da piscina a cada hora e, assim, obter o valor exorbitante de 4V. Esta distração perpetuar-se-á por bons tempos na memória do Sr. Distraído.