Gorilas, chimpanzés e seres humanos partilham mais de 97% da sua informação genética. Ainda que na aparência existam muitas diferenças entre os seres humanos e outras espécies de primatas, o estudo do material genético revela grandes semelhanças.

A seleção de um fragmento de ADN humano e a sua comparação com um fragmento equivalente de chimpanzé, revela-nos que apenas 2 em cada 100 bases da sequência serão diferentes. No caso dos gorilas, as diferenças ocorrem em 3 bases por cada 100.

O parentesco genético pode igualmente estudar-se observando os cromossomas. Nos seres humanos o ADN reparte-se em 23 pares de cromossomas, enquanto que nos primatas reparte-se em 24.