Os buracos negros são regiões do espaço-tempo que sugam toda a matéria, energia e radiação à sua volta. Existem milhares de buracos negros no universo. Várias teorias tentam explicar a formação destas regiões titânicas, sendo que uma delas teoriza que os buracos negros resultam do colapso gravitacional (implosão por ação da gravidade) de estrelas, no mínimo 3 vezes maior que o Sol, que esgotaram a sua fonte de energia. As leis gerais da física não se aplicam dentro dos buracos negros, sendo ainda uma grande incógnita o destino da matéria absorvida por eles. Os buracos negros podem fundir-se com outros, criando buracos negros supermassivos.

É sabido que os objetos (planetas, estrelas, gás e outros corpos celestes) que são sugados para dentro dos buracos negros são esmagados, fazendo reduzir o seu volume e aumentar a temperatura até milhões de graus. Este fenómeno faz com que a matéria emita radiação ultravioleta e X, permitindo aos telescópios sensíveis a esses comprimentos de onda detetar e provar a existência destes fenómenos.

No centro da nossa galáxia, os astrónomos acreditam que existe um buraco negro supermassivo que é 4.3 milhões de vezes maior que o nosso Sol.