A SIDA (Síndrome de Imunodeficiência Adquirida) é uma doença provocada pelo vírus VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana). Este vírus introduz-se no organismo humano, podendo permanecer “inativo” (as pessoas chamam-se seropositivas), ou “ativo”, destruindo o sistema imunitário da pessoa. Um indivíduo infetado com este vírus pode contrair e desenvolver infeções muito variadas ou mesmo certos tipos de cancro.

A SIDA ainda não tem cura, contudo, não se morre de SIDA. Esta provoca um enfraquecimento do sistema imunitário, fazendo com que as doenças oportunistas matem (ex: gripe, tuberculose, meningite, pneumonia).

Apenas alguns desenvolvem, ao serem contagiados, os primeiros sintomas, muito parecidos com a gripe (febre, transpiração e debilidade geral) e em cerca de 30% dos casos verifica-se também um aumento dos gânglios do pescoço, axilas e virilhas. As pessoas não associam este mal-estar com a SIDA, pensam que se trata de um forte resfriado ou esgotamento. Se o inchaço dura há cerca de 3 meses, existe a probabilidade dessa pessoa ser portadora do vírus.

Uma das prevenções passa por não ter relações sexuais com portadores do vírus da SIDA. Como isto é impossível de se saber - na maioria dos casos nem o próprio portador sabe que a tem - a única prevenção possível, neste exemplo, é utilizar sempre o preservativo.