O que é o Biodiesel?

O biocombustível, designado por biodiesel, não é um óleo vegetal, mas está intimamente relacionado com o conjunto de compostos orgânicos classificados como lípidos naturais, já que é obtido a partir destes, quer sejam óleos vegetais, gorduras animais ou microrganismos ricos em óleos.


Como o biodiesel pode ser obtido a partir de uma gama bastante vasta de matérias-primas é óbvio que as suas propriedades, como a viscosidade, densidade ou ponto de fusão poderão variar significativamente consoante a fonte de onde é produzido, que inclui materiais tão variados como o óleo de palma, óleo de soja, sebo de porco, etc.; e as condições gerais em que a própria transformação química ocorre como a temperatura, a pressão, o catalisador (básico ou ácido; homogéneo ou heterogéneo) e o próprio álcool usado (metanol ou etanol).


No entanto, para ser passível de ser usado como combustível, o biodiesel tem de verificar as especificações de normas que impõem características padronizadas do produto, de forma a assegurar a sua eficácia e a segurança da sua utilização comercial. No caso europeu aplica-se a norma europeia EN 14214 que descreve as especificações e os métodos de análise para a caracterização dos chamados FAME (Fatty Acid Methyl Esters), o tipo mais comum de biodiesel.


Assim, o biodiesel corresponde genericamente a um líquido de cor amarela, imiscível com água e com um ponto de ebulição elevado. É relativamente pouco inflamável, reduzindo o perigo de explosão acidental, com uma baixa toxicidade e uma elevada biodegradabilidade. As diferenças em relação ao gasóleo em termos de binário, potência e consumo são reduzidas, apresenta um efeito lubrificante superior e um poder de ignição semelhante ao petrodiesel. Por outro lado, pode exibir problemas de fluidez a baixas temperaturas e baixa estabilidade devido à sua alta biodegradabilidade. Adicionalmente, tem a desvantagem do seu valor estar altamente dependente do custo das matérias-primas. O processo típico de produção gera elevadas quantidades de um subproduto ainda de baixo valor, o glicerol, cujo aproveitamento posterior pode ser problemático.


Para além disso, como as matérias-primas para a produção do biodiesel são essencialmente obtidas a partir de culturas agrícolas, uma aposta em larga escala na produção de biodiesel pode conduzir a uma procura global de novos terrenos agrícolas ou de reconversão dos já existentes.

Direitos reservados

Paulo Brito (Instituto Politécnico de Bragança) - 2012-12-12 12:06:59