Problemas e soluções associados às próteses…

Uma prótese consiste num componente artificial que é utilizado para substituir um órgão, um membro ou outra parte do corpo que tenha sofrido amputação. Quando ocorre a perda de uma parte do nosso corpo, a nossa imagem corporal fica comprometida e profundamente alterada, o que provoca muitas vezes alterações das necessidades fisiológicas, psicológicas e sociais.


O processo de fabrico de uma prótese depende, em grande escala, da capacidade financeira de quem a precisa. A opção mais económica inclui a produção de uma prótese com base numa série de medições, efetuadas ao local, para que o encaixe seja perfeito. Estas medições podem ser realizadas de forma manual com recurso a uma fita métrica, a um paquímetro artesanal ou a moldes. Este processo de produção de próteses apresenta diversos problemas. É extremamente dependente da habilidade do técnico e as medidas extraídas do local são, muitas vezes, insuficientes para construir a prótese adequada. A possibilidade do paciente necessitar de voltar a ajustar a prótese é grande, assim como a probabilidade do desenvolvimento de complicações (ex.: falta de adaptação, aparecimento de lesões, desvios posturais, etc.).


As pessoas necessitam de próteses que apresentem a melhor qualidade possível. Assim, a opção mais dispendiosa inclui uma prótese que pode ser construída com recurso a tecnologia avançada, onde é possível obter todas as características do local onde esta vai ser colocada, o que nos permite construi-la de forma a garantir que o encaixe seja perfeito e, assim, prevenir o menor número de complicações.


No fabrico de próteses, o material utilizado na sua produção apresenta-se como o principal elemento de sucesso ou insucesso do modelo a ser adotado. Se o material selecionado não for o melhor, a prótese pode provocar desconforto e graves problemas no membro. Os materiais atualmente utilizados para o fabrico de próteses, atendendo às necessidades, dividem-se em quatro categorias diferentes: metálicos, poliméricos, cerâmicos e compósitos.
A história evolutiva das próteses passa por diversos momentos em que existe a necessidade constante da procura de novos materiais e do aperfeiçoamento construtivo. Uma recente técnica de aperfeiçoamento construtivo recorre ao uso de Scanners 3D - um equipamento ótico que captura as formas de objetos e as representa num computador. Assim, é possível, de forma rápida e exata, captar sem contacto a forma do membro amputado para que o encaixe da prótese seja feito da maneira mais adequada possível.


Atualmente, as pesquisas continuam a visar a criação de próteses cada vez mais funcionais, mais estéticas, mais leves e de baixo custo. Grandes empresas na área da reabilitação disputam o domínio do mercado mundial, investem em estudos científicos e, com as suas criações protéticas, propiciam a reabilitação com tecnologia avançada.

Figura 1: Exemplo de prótese no membro superior

Figura 2: Exemplo de prótese no membro inferior

Ana Afonso, Luís Queijo (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-02-02 14:02:02