As águas residuais tratadas são uma origem alternativa de água. Saiba porquê!

A escassez de água para as mais comuns utilizações tem vindo a aumentar em todo o mundo, estando relacionada com a sobre-exploração dos recursos hídricos (como rios, lagos, poços e furos, entre outros) e as recorrentes secas verificadas nos últimos anos, situação que resulta em graves consequências ambientais, sociais e económicas. Assim, têm vindo a ser estudadas origens de água alternativas, sobretudo através da reutilização de águas residuais (esgotos domésticos e industriais) tratadas.


A reutilização da água como estratégia de combate à escassez de recursos hídricos requer um bom planeamento, em que as águas residuais são tratadas e utilizadas para determinadas atividades com benefícios socioeconómicos. Com esta prática atingem-se dois objetivos ambientais: por um lado, o efluente tratado não é descarregado num meio hídrico recetor, reduzindo-se, desta forma, eventuais impactes ambientais negativos associados à carga poluente residual; e, por outro, o efluente tratado pode ser utilizado como uma origem de água para determinados usos.


A reutilização de águas residuais tratadas de estações de tratamento de águas residuais (ETAR) deve ser preferencialmente praticada para usos compatíveis com as suas características. A rega agrícola pode beneficiar da reutilização destes efluentes tratados, pois em Portugal a agricultura consome mais de 80% da água doce disponível. Contudo, estes efluentes podem também ser reutilizados para outras finalidades, como por exemplo a rega paisagística (com destaque para a rega de campos de golfe, jardins e recintos desportivos), a reutilização industrial, a recarga de aquíferos, certos usos recreativos e ambientais (nomeadamente, a alimentação de lagos de recreio ou a preservação de habitats da vida selvagem) e, ainda, usos urbanos que não obrigam à utilização de água potável (como por exemplo, a lavagem de ruas, a descarga de autoclismos e o combate a incêndios).


Assim, as águas residuais tratadas podem e devem ser encaradas como uma origem alternativa de água a aproveitar e não como um resíduo a eliminar, dado a existência de tecnologias que possibilitam que sejam tratadas até praticamente qualquer nível de qualidade.

Reutilização de águas residuais tratadas na rega agrícola

Reutilização de águas residuais tratadas na rega paisagística

Flora Silva (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-02-26 10:56:23