Representação tridimensional de um terreno. Como executar uma maqueta?

A porção delimitada da superfície terrestre, bem como todas as suas particularidades naturais ou artificiais, quando levantada topograficamente, é normalmente representada num plano, considerado horizontal, através de uma projeção ortogonal cotada, normalmente denominado por planta topográfica, na qual são representadas a altitude e a cota de todos os pontos singulares daquela superfície, existindo uma relação de dimensões bem definida (escala) entre o terreno e a sua representação.


Um dos métodos de representação do terreno mais usado baseia-se na sua representação por curvas de nível, no qual se supõe o terreno cortado por planos horizontais equidistantes, representando-se a projeção ortogonal horizontal das curvas resultantes desses cortes. Contudo, constata-se que não é fácil a interpretação de cartas topográficas por parte da maioria dos cidadãos comuns, sendo normalmente necessário recorrer ao uso de conceitos tridimensionais. A representação de um terreno a três dimensões pode ser feita recorrendo a modelos digitais do terreno ou à execução de maquetas.


O processo de elaboração de uma maqueta envolve a interpretação do relevo de um terreno, recorrendo ao uso de elementos cartográficos, e o tratamento gráfico de uma carta topográfica em ambiente AutoCAD (desenho assistido por computador). A execução baseia-se na materialização, em relevo, das curvas de nível e dos pontos característicos do terreno. Para a sua construção são necessários alguns cuidados, tanto no manuseamento dos materiais a utilizar, bem como na utilização da técnica.

Relativamente aos materiais necessários destaca-se: uma planta topográfica com escala a definir, um rolo de cortiça com espessura em função da escala vertical pretendida, uma placa de madeira, papel químico, cola branca, pincéis, tesoura, x-ato, régua, canetas e verniz. A construção de uma maqueta obedece a várias fases, iniciando-se com o desenho das curvas de nível (recorrendo ao software AutoCAD), onde se destacam as curvas de nível individualmente; seguindo-se a impressão dos desenhos (curvas de nível e pontos cotados) e a transposição das curvas de nível para a cortiça (já cortada em placas). Posteriormente, procede-se ao recorte das placas de cortiça, acompanhando a linha das curvas de nível; e à sobreposição das curvas de nível por colagem, atendendo a que a curva de nível de menor cota ficará na base, para colar as restantes de forma crescente (da menor para a maior altitude). A execução da maqueta termina com o acabamento e suporte, que inclui a marcação das cotas e das linhas de água presentes. Segue-se, por fim, o envernizamento da maqueta e a colocação da mesma numa placa de madeira para maior estabilidade.

Representação de um terreno (2D) e maqueta (3D)

Flora Silva e Manuel Minhoto (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-04-17 16:00:47