O que é a Microfluídica?

A ciência que estuda o comportamento dos fluidos a uma escala muito reduzida designa-se por microfluídica. Nesta ciência estuda-se o comportamento de diferentes tipos de fluidos em canais com dimensões muito próximas da espessura de um cabelo humano (ver Figura 1). Na realização de ensaios experimentais nesta área são normalmente utilizados diferentes equipamentos, como por exemplo, uma bomba de seringa para bombear o fluido para dentro do canal de uma forma controlada, um microscópio e uma câmara de alta velocidade, de forma a possibilitar a visualização e o tratamento dos dados obtidos por este sistema de microscopia.


Desde a importante comunicação de Richard Feynman intitulada "Há muito espaço no fundo!”, realizada no encontro anual da Sociedade Americana de Física, em 1959, a humanidade tem assistido a um rápido desenvolvimento da miniaturização de dispositivos eletrónicos. Contudo, atualmente, este desenvolvimento está a abrandar devido aos limites das tecnologias associadas à microfabricação, sendo complexo obter estruturas de tamanho inferior a um cabelo humano.


A microfluídica tem muitas aplicações, que vão desde as ciências da vida à indústria farmacêutica e à biomedicina. Alguns exemplos de aplicações são a administração de medicamentos e a sua introdução na quantidade exata em pacientes, o uso de dispositivos alternativos de diagnóstico, a impressão, aplicações óticas, airbags de automóveis, micropermutadores de calor para arrefecimento de circuitos eletrónicos, reatores para separação de células biológicas, microbombas para impressão a jato de tinta.


Além disso, o surgimento recente da nanotecnologia tem levado à expansão destas áreas de aplicação para outro tipo de microdispositivos, como por exemplo a manipulação e a análise de escoamentos à escala molecular.

Figura 1. Caraterísticas de tamanho de dispositivos microfluídicos em comparação com outros objetos.

Rui Lima e Valdemar Garcia (Instituto Politécnico de Bragança) - 2013-06-27 15:37:14