Muitos de nós possuímos um dispositivo que nos mostra onde nos encontramos e nos orienta por locais que não conhecemos. Este dispositivo, usado enquanto conduzimos ou quando caminhamos, é conhecido popularmente por GPS. No entanto, esta designação não é inteiramente correta. GPS é, na realidade, uma sigla que quer dizer Global Positioning System>/i>, isto é, sistema global de posicionamento. Por familiaridade e facilidade de linguagem, continuamos a chamar-lhe GPS. O GPS não funciona sozinho. Para funcionar precisa da ajuda de um conjunto de 32 satélites. Estas máquinas são enviadas por transportadores espaciais (os vulgares foguetões) e colocadas a uma distância de cerca de 20mil km da superfície da Terra. Tal como a lua, estes satélites realizam a trajetória de rotação em torno da Terra, dando duas voltas em cada dia. Os 32 satélites são espalhados de forma a que seja possível ter sempre, pelo menos, 6 satélites próximos de nós, apesar de serem necessários apenas 4. A posição do GPS é obtida calculando a distância a que cada um dos satélites se encontra. Como é que o GPS consegue saber a que distância se encontra do satélite? Cada satélite transmite, constantemente, uma mensagem para a Terra, que inclui o instante em que a mensagem foi enviada e a posição em que o satélite se encontra. Esta mensagem demora algum tempo a chegar, pelo que, sabendo o instante em que partiu e o instante em que chegou, é possível calcular a distância que o sinal percorreu. Então, neste processo é fundamental a precisão do relógio de cada satélite, e desta dependerá a precisão da localização. Por esse motivo, cada satélite está equipado com um relógio atómico, tão preciso que não atrasa um segundo em 20 milhões de anos. Se fosse usado apenas um satélite, O GPS conseguiria somente calcular que estaria a uma determinada distância dele, ou seja, que estaria localizado na superfície de uma esfera imaginária, em que o satélite seria o centro. Saber com precisão o ponto em que um dado indivíduo se encontra requer, por este motivo, 4 satélites. Assim, consegue-se calcular a interseção entre as 4 esferas, o que lhe dá a informação relativa à latitude, longitude e altitude. Este processo chama-se triangulação. Lembre-se, sempre que estiver a usar o GPS, terá pelo menos 4 satélites a conduzir consigo.